Quais problemas os caminhoneiros podem enfrentar devido às medidas restritivas?

A pandemia de coronavírus impacta diretamente a vida de muitas pessoas. Não é diferente no setor de transporte. Caminhoneiros podem enfrentar algumas dificuldades na estrada devido às medidas restritivas, que são diferentes em cada região do país. Confira a seguir algumas dicas para que os motoristas enfrentem menos transtornos neste período.

Alimentação

Muitos estados e municípios adotaram medidas restritivas que limitam a circulação de pessoas a atividades essenciais. Por isso, é possível que caminhoneiros encontrem muitos estabelecimentos fechados, principalmente restaurantes, e acabem tendo dificuldade para se alimentar.

O governo federal, preocupado com a alimentação destes profissionais, recentemente emitiu uma portaria que considera postos de combustíveis e restaurantes em estradas como estruturas essenciais para permitir o transporte de alimentos e insumos agrícolas durante a pandemia.

O indicado é que o caminhão esteja sempre abastecido com alimentos não perecíveis para que o motorista tenha uma alternativa para alimentar-se caso não encontre restaurantes disponíveis.

Serviços mecânicos

As oficinas mecânicas e borracharias são serviços essenciais para os caminhoneiros, mas durante o atual período também estão sendo fechadas em diversos locais, o que dificulta ainda mais que os motoristas possam fazer entregas nos prazos corretos. Para evitar imprevistos, é importante realizar a manutenção preventiva, poupando assim o motorista de ser pego de surpresa durante o transporte.

Caso ocorra qualquer situação de risco que seus motoristas possam enfrentar, tenha sempre uma equipe disponível para atendê-los. Para isso, o serviço de monitoramento de frota da CEABS pode auxiliar a sua empresa.

Higiene

Os caminhoneiros estão mais expostos ao novo coronavírus do que outros trabalhadores, mas muitas vezes encontram dificuldades para comprar álcool em gel ou realizar atividades básicas de higiene, como tomar banho. Para minimizar os riscos de contágio, a Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR) anunciou algumas medidas, como a distribuição de álcool em gel nas praças de pedágio e a instalação de postos de atendimento nas estradas para realizar avaliações médicas, por exemplo com medição da temperatura corporal dos caminhoneiros.

Durante estes tempos difíceis, os caminhoneiros são essenciais para manter o abastecimento não só de mercadorias, mas também de insumos indispensáveis, como alimentos, remédios e materiais hospitalares. Por isso, merecem todo o suporte para realizar seus trabalhos com segurança.

Leia também: Caminhoneiros: dicas para manter a saúde na estrada

Deixar um comentário