Zoe: o carro elétrico da Renault agora vendido no Brasil

03-CEABS-blog

A maior aposta da fabricante em tecnologia acaba de chegar ao Brasil: o Renault Zoe. Lançado ainda no primeiro semestre de 2019, o automóvel foi muito prestigiado na última edição do Salão do Automóvel que acontece em São Paulo. Ele é o primeiro carro europeu totalmente projetado para utilizar a tecnologia elétrica.

Saiba todos os detalhes sobre o carro elétrico da Renault.

Características do Renault Zoe

Com mais de 300 km de autonomia, o Renault Zoe é um carro com emissão zero de poluentes. Ele também é silencioso, compacto, ecologicamente correto e com um design muito elegante. Com um chassi adaptado a sua tecnologia elétrica, a direção é extremamente fácil e confortável.

Zero Emissão

Como já comentado, o Renault Zoe conta com o sistema de bateria Zero Emission 40 e motor elétrico. Ele não emite poluentes, ruídos de motor ou de mudança de marcha.

Autonomia

Capacidade de bateria para mais de 300 km com tecnologia de recarga regenerativa durante a frenagem, ou seja, fácil e rápido de recarregar.

Carregamento

Utiliza um sistema de carregamento que se adapta a diferentes níveis de potência: Chameleon Charger™. Este sistema capta a quantidade máxima de energia disponível e reduz o tempo para recarregar através do WallBox.

Tecnologia e desempenho

  • 100% de torque desde o início, ele vai de 0 a 50 km/h em 4 s
  • Baterias que não viciam
  • Regeneração de energia
  • Projetado para garantir máxima eficiência dos componentes
  • Menos peças do que um carro a combustão, otimizando a manutenção e garantindo melhor desempenho no aproveitamento da energia

Design

  • Fechaduras integradas ao vidro
  • Lanternas de LED
  • Rodas diamantadas 16″

Sistema multimídia

O Renault Zoe já vem equipado com som premium BOSE®, com alto-falantes, subwoofer, amplificador e sete canais de equalização de som. Além disso, o conjunto multimídia é arranjado pelo sistema R-Link com GPS integrado e Android Auto.

 

Veja também: Carros elétrico no Brasil: tecnologia viável ou realidade distante?

Deixar um comentário